Em março deste ano (2020), as matrículas dos automóveis foram modernizadas e desde então temos assistido a uma procura elevada à substituição das mesmas. Lembramos que se a legislação não for cumprida o automobilista pode não conseguir obter a aprovação na inspecção ou mesmo uma multa que pode ir dos 120 até aos 600 euros.

Novas Matriculas

As novas matrículas são a partir de março compostas por dois grupos de letras na extremidade da placa e dois carateres numéricos.

Vamos usar por exemplo a seguinte possibilidade: AA 08 AM

Esta informação deverá ser colocada numa chapa de fundo branco, agora sem aquela coluna amarela com o ano e mês do carro a que já nos havíamos habituado.

Uma vez que este novo modelo abdica da informação da data da viatura, tornou-se imediatamente muito apetecido e tem-se assistido a uma procura constante e elevada por novas placas.

A Guarda Nacional Republicana (GNR), porém, já alertou para o facto de que nem todas as matrículas cumprem os requisitos legais (conferir Decreto-Lei n.º 2/2020 de 14 de janeiro) em termos de tamanho e espaço entre carateres, senão vejamos:

Estando de frente para a chapa, a disposição dos carateres deve estar devidamente centrada quer na vertical, quer na horizontal e o espaçamento entre eles tem de respeitar os 10mm. Os traços separadores entre os grupos de carateres foram eliminados, mas no seu lugar, passa a existir um espaçamento duplo, ou seja 20mm.

Salientamos ainda que as chapas de matrícula dos veículos atualmente em circulação mantêm-se válidas e sem necessidade de substituição.

As contraordenações que resultam do incumprimento destas normas (conferir Anexo II do artigo 5º do Decreto-Lei nº 144/2012) vão de 120 até 600 euros.

Além disso, se o proprietário do veículo se dirigir a uma inspeção periódica obrigatória e for detetada uma falha na nova matrícula, o veículo poderá ser reprovado até correção da mesma.

Pela primeira vez, as letras Y, K e W foram introduzidas, gerando assim cerca de 28 milhões de combinações possíveis.